SIC Mulher

Perfil

Inês Castel-Branco: “Não me envolvi no voluntariado na condição de figura pública”

A atriz fala sobre a corrente solidária “Não Vamos Esquecer”

Tiago Caramujo

Nos últimos meses, Inês Castel-Branco tem partilhado, nas redes sociais, episódios do voluntariado a que se tem dedicado e que visa ajudar as vítimas dos incêndios do ano passado, através da plataforma “Não Vamos Esquecer”. Apesar de mostrar essas imagens nas redes sociais, Inês garante que não o faz para “ficar bem vista”, mas sim por um motivo maior: “Quando me envolvi no voluntariado que ando a fazer não foi na condição de figura pública, sendo que um dos ‘códigos do voluntariado’ é passar a palavra porque cada vez que tu passas angarias mais voluntários. Portanto eu estou a utilizar as minhas redes sociais não para ficar bem vista, porque estou a dar só o meu tempo, mais nada, mas sim para chegar a mais pessoas para que elas se juntem a nós”. E está a resultar. Inês até diz que “parece um bocadinho aquele filme ‘Favores em Cadeia’, quanto mais tu mostrares e trouxeres, mais vão trazer. E, de facto, desde a penúltima ação para esta passámos de 17 a 50 voluntários”, acrescentando ainda que “aquelas duas povoações onde nós temos ido são povoações que estão completamente isoladas e que perderam tudo”.

A atriz que deu vida a Francisca, em ‘Amor Maior’ entrou neste projeto através da também atriz Mariana Norton, colega na mesma novela, “ela foi a primeira atriz a envolver-se e eu disse-lhe ‘também quero’ e a partir do momento em que fui nunca mais deixei de ir”.

Inês considera que a entreajuda é um valor humano fundamental e acredita que ajudando agora quem precisa, um dia poderão ser eles a ajudar outras pessoas. “Acho que este devia ser o princípio básico da humanidade. Não tem de ser só o Governo a fazer isso – também tem – mas temos de ser nós, temos de ser uns para os outros e é nesse sentido que eu o faço”.

“Não Vamos Esquecer” é um movimento popular criado com o objetivo de “não deixar esquecer o drama dos incêndios que ocorreram em Portugal no Verão de 2017. Não deixar esquecer quem ficou sem nada. Não deixar esquecer quem precisa de tudo. Não deixar esquecer que é prevenindo que se prepara um futuro em que nada disto se repete”, como se pode ler na página de Facebook do projeto, onde existe também a informação de que já têm um conjunto de Psicólogos em campo.

Veja algumas das fotos partilhadas por Inês no projeto "Não Vamos Esquecer".

1 / 4

2 / 4

3 / 4

4 / 4

nas redes

pesquisar