SIC Mulher

Perfil

Diogo Amaral apresenta o livro “O Meu Filho Não Dorme”, de Luís Maia

O livro relata o desespero de um pai em privação de sono

1 / 18

SIC MULTIMEDIA

2 / 18

SIC MULTIMEDIA

3 / 18

SIC MULTIMEDIA

4 / 18

5 / 18

SIC MULTIMEDIA

6 / 18

SIC MULTIMEDIA

7 / 18

SIC MULTIMEDIA

8 / 18

SIC MULTIMEDIA

9 / 18

SIC MULTIMEDIA

10 / 18

SIC MULTIMEDIA

11 / 18

SIC MULTIMEDIA

12 / 18

SIC MULTIMEDIA

13 / 18

SIC MULTIMEDIA

14 / 18

SIC MULTIMEDIA

15 / 18

SIC MULTIMEDIA

16 / 18

SIC MULTIMEDIA

17 / 18

SIC MULTIMEDIA

18 / 18

SIC MULTIMEDIA

“O Meu Filho Não Dorme” é o nome do livro de Luís Maia, repórter da rubrica ‘Atualidade Criminal’, das manhãs da SIC, e conta o desespero vivido pela família nos primeiros anos do filho, Afonso, porque não dormia.

Sobre a publicação do livro, Luís diz que acontece “felizmente porque o meu filho já dorme, se não nem havia livro! A ideia é inspirar outras pessoas a vencerem este problema da privação de sono porque há sempre alguma coisa a fazer”. Para apresentar a obra escolheu Diogo Amaral “porque ele é um ‘Breaking Dad’ [referência ao blogue de Diogo sobre paternidade], porque o Diogo também olha para estas questões da paternidade de uma forma muito especial e porque ele tem um filho mais ou menos da mesma idade que o Afonso que, durante uma altura, também não dormia”. O ator, recorda ainda outro motivo, o Luís foi a primeira pessoa que me entrevistou profissionalmente (…) quando recebi a chamada dele a convidar-me para a presentar o livro, achei engraçado e aceitei e é uma honra”.

Diogo identifica-se com a problemática do livro, uma vez que “o meu filho não dormia bem até aos dois anos. Acho que acontece um bocadinho a todos os pais e mães, a determinada altura os filhos não dormem bem”, mas, no seu caso, a solução foi simples: “De um dia para o outro ele decidiu que já tinha ganho, já tinha marcado a sua posição e começou a dormir melhor”. Já Luís e Susana, sua mulher, viram a tarefa mais dificultada e tiveram de recorrer a uma terapeuta do sono, algo que aconselha “sem dúvida nenhuma e é sobretudo para os pais, porque os pais é que têm de ensinar as crianças a dormir”.

Luís revela o maior ensinamento que tirou desta experiência: “É preciso sobretudo criar rotinas. Entre 30% a 35% das crianças sofrem de insónia infantil, mas elas podem ser ensinadas a dormir”. Em “O Meu Filho Não Dorme”, não vai encontrar o método infalível para pôr o seu filho a dormir, vai antes “encontrar todas as asneiras que não deve cometer e muitas delas são muito comuns”, como frisa Luís Maia.

Este é um livro que partilha experiências pessoais que têm importância, na opinião de Diogo Amaral, porque quando nasce um filho a nossa vida muda sem nós podermos controlar e (…) isso desconstrói-te e é uma análise engraçada. É sempre interessante leres a experiência de alguém que também passou por isso. É quase como leres o comentário de alguém a um país ou uma viagem que vais fazer”.

Luís e Susana recorreram à ajuda da terapeuta do sono Filipa Sommerfeldt Fernandes e dizem, aliviados, que hoje em dia, com quatro anos, o Afonso dorme “como um anjo.

Conheça melhor a história do livro de Luís Maia, no Clube do Livro SIC.

nas redes

pesquisar